Introdução à Roménia em 15 hectares de museu

É uma espécie de introdução à história da Roménia em versão Reader’s Digest. O Village Museum de Bucareste,  é um dos maiores museus ao ar livre dos Balcãs e, num dia de temperaturas amenas, uma forma muito eficaz e rápida de os visitantes ganharem noção da diversidade regional deste país.

Entre 15 hectares de zonas verdes, bordejados pelo rio que atravessa a cidade, o Village alberga cerca de 60 casas, igrejas, moinhos e alfaias agrícolas que contam a conturbadíssima história da Roménia, enfatizando as idiossincrasias das suas diferentes regiões, da Moldavia à Transilvânia. Cada uma delas foi desmontada e trazida de combóio desde o local de origem para ser remontada neste parque, criado por decreto real em 1936.  É, portanto, uma síntese da diversidade étnica, religiosa e geográfica do país em tamanho real.

Por cá se descobrem algumas das igrejas de madeira mais antigas da Europa e os “truques”  arquitectónicos usados pelos romenos para fazer desaparecer as casas na paisagem e assim fintar as recorrentes invasões turcas, ao longo da história. É por causa dos turcos, aliás, que os romenos comem tanto porco: era o único animal a salvo dos saques. (Actualmente, pouco sobra desta animosidade antiga. Aliás, durante o período comunista, coube aos turcos a tarefa de municiar os romenos de calças de ganga, repudiadas como um símbolo do imperialismo por Ceausescu até há cerca de 20 anos atrás).

A entrada no parque custa 10 lei (pouco mais de três euros) e, ao fim-de-semana, há bancas de venda de petiscos tradicionais romenos à porta e os alimentos podem ser consumidos dentro do parque. Uma excelente forma de saudar a Primavera que por estes lados já fez o termómetro subir até aos 27 graus.

__
Natá­lia Faria (texto) e Paulo Pimenta (fotos) via­jam na Romé­nia a con­vite da TAP,  Hotel Marshall Gar­den e Kar­pa­ten Tourism

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>