“Streetwear” em Samarcanda

Umas vestem longos vestidos estampados com flores de cores berrantes sobre calças de veludo e chinelas de plástico pretas a combinar com meias de lã às pintinhas. Outras andam de minissaia ou jeans muito justos, casacos de cabedal ou blusões de ganga, calçadas de sapatos de salto alto ou ténis All Star. Outras ainda, recriam as peças tradicionais mais sexy, como os tops dourados em cetim, misturando-as livremente com pronto-a-vestir ocidental. Estes são visuais que marcam a moda de rua por estes dias em Samarcanda, Uzbequistão.

São a face mais visível de que a mítica cidade na Rota da Seda não corresponde mais – ou melhor, não estritamente – aos clichés mil-e-uma-noites que são a sua imagem de marca. Porque se o centro da cidade é dominado pelas obras-primas do passado (largamente reconstruídas nos anos 60 pela administração soviética), tudo em volta é uma cidade moderna que não pára de crescer e de se desenvolver. Nesta paisagem urbana em rápida transformação, os valores tradicionais convivem com outros mais ocidentais e actuais sem soluções de continuidade. Sobretudo sem uma lógica aparente para quem vem de fora, que acaba sem perceber onde param as modas. Claro que é sempre mais fácil contemplar os monumentos e mergulhar nas doces fantasias da história.

2 comentários a “Streetwear” em Samarcanda

  1. Olá, vou me mudar para o Uzbequistão em dez dias, não encontro nada no google, gostaria de saber se poderei usar minhas roupas normais brasileiras lá. Se puder me ajudar agradeço

    Responder
    • bom dia
      pode usar o que quiser, a diferença é que a amplitude termica é muito mais que na Europa, de modo que deve levar roupas muito quentes e bem frescas.

      Responder

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>