Por este Alto Atlas acima

[4º dia, 3 de Setembro]

Quando acordámos, de manhã, à nossa frente, havia só neblina e montanhas. Saímos do parque de campismo às 8h00 e, pela frente, tínhamos 330 quilómetros. Destino: subir o Alto Atlas até às Gargantas Todra. 

Naquela paisagem recortada por grandes maciços, vales profundos e desfiladeiros estreitos, estivemos pelo menos a 2654 metros de altitude. São muitos quilómetros de silêncio e quietude, quebrados apenas, aqui e ali, por pequenas aldeias da cor da terra que nem devem vir nos mapas e nos guias.  Naquele cenário, o nosso jipe, o número 15, é um privilegiado por poder ver os carros a surgirem, um por um e lentamente, depois de cada curva.

Pelo caminho, deparámos com um marroquino que teve uma avaria no motor do carro. Ali no meio não podia ter encontrado ninguém melhor do que os Marafados do TT Algarve para pôr o carro a trabalhar. No fim, foram só beijos e agradecimentos.

Por fim, à hora de jantar, chegámos ao albergue de onde escrevemos este apontamento. Chama-se Kasbah Essalam www.kasbahessalamtenghir.com), fica em Tamtattouchte e está rodeado de montanha. Cá dentro é só mosaicos, tapetes e almofadões. No exterior, há uma piscina e uma tenda com mais tapetes e almofadões. Neste momento, há festa. Aqui mesmo na sala ao lado, vários marroquinos tocam flauta, pandeireta e outros instrumentos. Estão a chamar-nos para dançar. Temos mesmo de ir.

[Fotos de Marco Vilela | Maria João Lopes acom­pa­nha a expe­di­ção todo-o-terreno “Rotas do Al-Andaluz”, entre Mér­tola e Mar­ra­quexe, Mar­ro­cos. Decorre de 31 de Agosto a 10 de Setem­bro e é orga­ni­zada pela autar­quia de Mér­tola e a Mer­tu­ris em con­junto com os Mara­fa­dos do TT Algarve]

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>