Costa Rica ao som do coaxar das rãs


O Parque Nacional Manuel António, na costa do Pacífico, é um dos mais visitados da Costa Rica. Na época alta, formam-se filas para entrar. Isto porque a sua capacidade máxima, num dado momento, são 800 pessoas. Nesta época do ano, porém, não há qualquer problema.
Por isso, as expectativas de ver a sua riqueza natural não eram muito elevadas. Mas acontece que esta pequena república no Sul da América Central nunca deixa de nos surpreender.


A sua posição estratégica permitiu-lhe receber espécies de flora e fauna do Norte e do Sul da América e ter espaço para novas espécies, devido à variedade de habitats.
Duas espécies de preguiças penduradas das árvores com as suas crias, uma espécie rara de tucano (Pteroglossus frantzii), iguanas e macacos foram algumas das pérolas encontradas neste parque que também tem praias lindas, de areia branca e vegetação luxuriante. (A facilidade em conseguir um guia neste parque é assustadora, estão em todo o lado).

À noite, das 17h30 às 20h00 (aqui escurece às 18h00), entrámos no mundo dos anfíbios numa visita guiada nocturna pela floresta. Aconselho quem vier à Costa Rica a fazer um destes percursos para conhecer de perto algumas das 182 espécies de anfíbios do país. À chuva e a trovejar, de lanternas na mão, percorremos caminhos por meio de charcos, ao som do coaxar de centenas de rãs, no Refúgio de Vida Selvagem Si Como No, mesmo na povoação de Manuel António. E o que vimos deixou-nos maravilhados. Rãs transparentes (com os seus órgãos, incluindo o coração, visíveis), rãs de olhos vermelhos e rãs que não fogem quando se sentem ameaçadas porque estão muito confiantes da sua camuflagem.

Entretanto, a lista de espécies observadas na Costa Rica já ultrapassou as 80…

Um comentário a Costa Rica ao som do coaxar das rãs

  1. O Parque Manuel António é o paraíso na terra na conjugação de mar, flora e fauna. De todos os animais o que mais chamou a minha atenção foi o macaco Titi pela sua inteligência e destreza. Enquanto admirava aquele cenário que mais parecia uma tela, escrevi este poema:

    MACACOS TITIS CARA BRANCA
    E IGUANAS

    Seu habitat invadimos
    numa manhã de domingo
    e logo nós descobrimos
    que o grupo era bem-vindo.
    À nossa espera estavam
    os Titis de cara branca
    e iguanas passeavam
    espiando quem abanca.
    Os macacos atrevidos
    não estão com “meias medidas”
    tudo roubam p’ra comer
    sempre jogando às ‘scondidas.
    É ver os sacos voarem
    nas mãos dos ágeis Titis
    e os turistas a ficarem
    vermelhos como rubis.

    M.Clara Costa

    Responder

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>