Aqui, é o mar quem mais ordena

A chegada de mais um navio de cruzeiro desperta uma verdadeira excursãode autóctones curiosos até à marginal e Portas do Mar. É um dos “preços” apagar pela insularidade… O comércio e a restauração beneficiam um pouco desta invasão pacífica e breve – são escassas horas em terra, como aconteceu com este navio há uns dias, para um rápido passeio até às Furnas ou Lagoa das Sete Cidades – para facturar uns euros suplementares. Horas depois, com a partida para sabe-se lá que outro destino, volta tudo à amena bonomia desta terra que quase nunca nos deixa esquecer que é o mar quem mais ordena aqui.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>