E eis a Costa Rica, 24h de viagem depois

Depois de 24 horas certinhas em viagem (das quais 14 de voo) e das malas perdidas (e ainda não encontradas) no caótico aeroporto de Bogotá, pequeno-almoço no Hotel Luisiana ao som inesperado de António Pinho Vargas (e do álbum “Cores e Aromas”). E na companhia do ministro Teixeira dos Santos: o La Nación noticia a crise em Portugal e o plano de res­gate da dívida púb­lica. Mas agora é tempo de partir à descoberta. San José, a capital, é a primeira etapa. Volto já (e com fotos). [escrito ontem – no ontem da Costa Rica – à chegada]

Um comentário a E eis a Costa Rica, 24h de viagem depois

  1. É verdade que chegar à Costa Rica leva muitas horas, a viagem é cansativa, mas a natureza, para lá de S. José, encarrega-se de nos compensar da fadiga. A fauna e a flora são um regalo para a vista e para os sentidos. Gostaría de lá voltar para rever a
    desova das tartarugas, os jacarés, as iguanas, os macacos Titis de cara branca e tantas coisas mais que este país tem para nos oferecer…

    Responder

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>