Os candidatos estão em campanha mas a sorte já foi lançada

Estamos no último (e frenético) dia de campanha eleitoral para a presidência dos Estados Unidos, e apesar dos quilómetros percorridos pelos candidatos, a sorte já foi lançada: não é suposto haver mais nenhuma surpresa entre hoje e amanhã, quando — se tudo correr bem — os americanos descobrirem quem vai viver na Casa Branca nos próximos quatro anos.

Depois de todos os argumentos terem sido apresentados, mastigados, criticados, desmentidos, ditos e reditos, as sondagens continuam a favorecer a reeleição do Presidente Barack Obama — e simultaneamente a confirmar a divisão e polarização política do eleitorado. A votação será necessariamente renhida, como tem sido o caso há mais de uma década, e poderá não ser isenta de controvérsias: este domingo, “vicissitudes” no processo de voto antecipado no sensível estado da Florida já foram suficientes para deixar toda a gente à beira de um ataque de nervos. A ansiedade estende-se ao Ohio, onde estão concentradas todas as atenções da América e do mundo.

(O Washington Post reúne aqui uma lista com as irregularidades detectadas até agora na votação)

É impossível perceber a quantidade de indecisos que ainda estão dispostos a votar amanhã. Nesta fase da corrida, que desde o tiro de partida contou com uma parcela reduzida de swing voters, estes votos podem parecer irrelevantes — excepto em meia dúzia de estados onde podem representar a diferença entre a reeleição confortável de Barack Obama e uma vitória surpresa de Mitt Romney.

As sondagens parecem indicar que os indecisos/independentes estão alinhar para o lado de Obama — poderá ser o resultado de uma reavaliação da postura do Presidente em reacção ao furacão Sandy, mas como escreve Hendrik Hertzberg na New Yorker, a tempestade poderia potencialmente beneficiar e prejudicar os dois candidatos. O Nobel Paul Krugman acredita que foi o evento que fez balançar o pêndulo para o lado do Presidente.

A verdade é que o último dia de campanha é só folclore. Para aqueles que foram consumidos ao longo dos últimos meses pelos mais ínfimos detalhes da campanha, poderá ainda haver uma ilusão de que o que se passa hoje ainda conta. Obama e Romney repetirão hoje as suas alegações finais, mais emotivas do que políticas. Mas as campanhas já fizeram tudo o que podiam fazer para ganhar a eleição. Agora é só esperar.

Rita Siza

Esta entrada foi publicada em Sem categoria com os tópicos , , . Guarde o href="http://blogues.publico.pt/eleicoeseua2012/2012/11/05/os-candidatos-estao-em-campanha-mas-a-sorte-ja-foi-lancada/" title="Endereço para Os candidatos estão em campanha mas a sorte já foi lançada" rel="bookmark">endereço permamente.

Um comentário a Os candidatos estão em campanha mas a sorte já foi lançada

Responder a Uma estudante aí Cancelar resposta

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>