Sondagens

Mark Blumenthal, que há vários anos é um dos gurus das estatísticas eleitorais para os jornalistas americanos, acaba de publicar uma interessante dissertação sobre desvios nos valores das sondagens diárias de apreciação dos candidatos presidenciais.

Os números da Gallup, uma das empresas mais conceituadas em todo o mundo e que efectua este tipo de medição desde a década de 40, é o ponto de partida de Blumenthal — o especialista reparou que os números relativos ao desempenho do Presidente Barack Obama eram consistentemente mais baixos nesta sondagem do que noutras realizadas no mesmo prazo, e esmiuçou o método utilizado até detectar uma possível explicação: tem a ver com a composição da amostra, em particular, com a identificação racial e de origem étnica dos inquiridos (a questão tem a ver com a sub-representação de negros e hispânicos, dois blocos cruciais na base de apoio de Obama).

O artigo não é muito polémico, mas parece-me interessante para quem gosta de perceber o funcionamento interno das empresas de sondagens.

Rita Siza

Esta entrada foi publicada em Sem categoria com os tópicos . Guarde o href="http://blogues.publico.pt/eleicoeseua2012/2012/06/18/sondagens/" title="Endereço para Sondagens" rel="bookmark">endereço permamente.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>