Resumo depois do intervalo

Hoje:

O Pres­i­dente Barack Obama apre­sen­tou a sua pro­posta de Orça­mento para o ano fis­cal de 2013. Trata-se muito mais de uma declar­ação de intenções políti­cas do que de um doc­u­mento de gestão do país — a Casa Branca sabe que tem zero hipóte­ses de ver a sua pro­posta aprovada pela Câmara de Rep­re­sen­tantes, con­tro­lada pelo Par­tido repub­li­cano. Ainda assim,fica claro o rumo que Obama pre­tende dar à sua cam­panha (e pre­sum­ivel­mente ao seu segundo mandato, se for reeleito).

A cam­panha do Pres­i­dente Barack Obama lançou uma nova ini­cia­tiva que tem como objec­tivo desmisti­ficar as men­ti­ras e fal­sas ale­gações dos seus adver­sários políti­cos. A can­di­datura de Obama quer recru­tar pelo menos dois mil­hões de apoiantes para fun­cionar como uma “equipa de reposição da verdade”.

No fim de semana:

O ex-governador do Mass­a­chu­setts, Mitt Rom­ney, venceu os cau­cus do Maine (que não atribuem del­e­ga­dos) e o “straw poll” da CPAC — uma espé­cie de con­curso de pop­u­lar­i­dade entre os par­tic­i­pantes da con­fer­ên­cia con­ser­vadora anual de Wash­ing­ton. Mas a sua can­di­datura não se lib­er­tou dos fan­tas­mas da sem­ana anterior.

Mais coisas inter­es­santes da reunião con­ser­vadora: Newt Gin­grich con­tinua a sua cruzada con­tra o estab­lish­ment repub­li­cano (aqui), e Sarah Palin só vê van­ta­gens em pro­lon­gar a cor­rida repub­li­cana até encon­trar o mel­hor can­didato (aqui).

O ex-senador da Pen­sil­vâ­nia, Rick San­to­rum, não acred­ita que os con­ser­vadores pre­fi­ram Rom­ney. As votações de fim-de-semana não inco­modaram a sua cam­panha, que está ani­mada com as sonda­gens que o mostram à frente no Michigan.

Rita Siza

 

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>