‘Fort St Elm’, os despojos de tenebroso passado

Billy Hayes é um estudante dos Estados Unidos que visita a Turquia. Ao deixar o país, decide levar alguns pacotes de haxixe, escondendo-os debaixo da roupa. O plano acaba por não funcionar, pois é preso no aeroporto: o seu pesadelo começa num brutal espancamento e continua numa prisão degradante. Um novo julgamento, no qual a […]






Birgu, Bormla e L-Isla: as três ‘irmãs’

Cospicua (Bormla) e Senglea (L-Isla) juntam-se a Vittoriosa (Birgu) nas três cidades fundidas que podemos apreciar desde os altos jardins de Barrakka. Sem dúvida, um dos mais impressionantes e cativantes postais de Malta. É uma tela de história que apreciamos deste privilegiado balcão em La Valetta. Birgu é a mais antiga das “Três Cidades” adjacentes […]






Rabat: tudo, menos “bastarda”

Depois de separada, pelos árabes, da gémea Mdina, antiga capital de Malta (em 1570 passou a ser Valetta), Rabat assumiu o seu próprio caminho. Fora das altivas muralhas  fortificadas, dedicou-se à agricultura, mas hoje em dia é centro de excelência para lojas e bares. E edifícios que, ainda assim, mantêm muito da traça tradicional. O lugar […]






Mdina, a Medieval Silenciosa

Viver cercado por muros imponentes e um majestoso portão de entrada lembra-nos as cidades fortificadas da idade média. Uma realidade de conto de fadas que é possível viver em Mdina, capital de Malta até Valetta assumir esse papel em 1570, nessa empreitada soberba e ousada da Ordem dos Cavaleiros de S. João. Atualmente, este burgo […]






Caravaggio vive!

Michelangelo Merisi “Caravaggio” (nome da aldeia natal da sua família, que acabou ‘escolhido’ como seu nome artístico). O pintor milanês mestre do barroco (1571-1610) tornou-se imortal pela sua obra que em Malta teve o seu ex-líbris com “A decapitação de São João Batista”. Porque o relembro? Porque é aqui, em Malta, perante a sua obra […]






Ordem de Malta

Dizem os estudiosos que Malta está habitada desde cerca de 5200 AC, nomeadamente o período Neolítico. Terão sido os fenícios a batizar a ilha de ‘Malat’ (“refúgio seguro”), antes da chegada de gregos, cartagineses, romanos, otomanos (…) até que em 1530 a Espanha cedeu as ilhas à Ordem Hospitalar de São João de Jerusalém (ordem […]