Rui Barbosa Batista

“O nómada conserva um segredo de felicidade que o cidadão perdeu. Por este segredo sacrifica a comodidade e a segurança. Múltiplos são os êxitos, os álibis e as sensações da viagem, mas um só é o profundo e verdadeiro motivo interior que a determina: perseguir o segredo daquela remota felicidade”. Domenico de Masi Em 1998 começou a aventurar-se "a sério" pela Europa. “Tarde, mas nunca demasiado”. De 2000 a 2004 um tour anual de carro. Um parco mês calcorreando nações do Velho Continente. Em 2005 expandiu horizontes e começou a explorar outros Mundos. Os cinco Continentes já constam do seu cadastro. A caminho de completar metade do Planeta. "Finalmente", dizem os amigos, decidiu organizar as viagens. Serão reunidas em www.bornfreee.com É aqui que partilhará as histórias passadas e as viagens futuras.

BENDER: é o forte que te coloca no ‘mapa’

Passado o ‘filme’ de cruzar a fronteira, um outro em forma de celebração religiosa. Não. Nada de errado se passa. Apenas a surpresa de nos depararmos com os devotos em cuidados rituais ortodoxos. Extravasam o perímetro da igreja. Há crianças que são levantadas para que o líder religioso as abençoe. Há cânticos. E muitos olhares […]






TRANSNÍSTRIA: Mergulhar num país que… não existe

A paisagem parece como que a embrutecer. E as cores a desfalecer. Reduzir a velocidade. Passar o primeiro controlo. O segundo. E parar ao terceiro. “Siga-me”, dizem-me olhos crus, em tom austero. Estamos num lugar bizarro, estanho. Uma fronteira que não sei se o chega a ser. Moldávia e Transnístria, um território que teima em […]






Capriana: mosteiro (finalmente) em Paz

O dia desmaia quando, finalmente, chegámos às margens de um pequeno lago artificial. Os derradeiros quilómetros que aqui se dirigem são a descer em zona tranquila, rural, com casas térreas abraçadas por quintais. A primeira imagem é divina. E não falo de religião. Fixo-me primeiro no reflexo. Um dos edifícios do mosteiro duplicado no estático lençol […]






Tipova e Saharna: Mosteiros & Lendas

Não é fácil chegar aqui, mas faz parte do encanto. Estamos a uns 100 quilómetros a norte da capital Chisinau, os últimos quilómetros são em terra-batida e as indicações não são precisas. Ótimo. Dá um ar ainda mais intemporal a estas obras arquitetónicas (na verdade, cavernas) ortodoxas esculpidas na alta falésia algures há tantos séculos […]