Min-ga-la-ba, Birmânia!!

O espesso “nevoeiro” que a industrialização da China produz também turva os céus da vizinha Birmânia. É, por isso, apenas quando o avião baixa altitude que começo a descortinar o solo. Curiosamente, em surpreendentes reflexos dourados. Vejo verde. Testemunho lagos. Cascatas. Um primeiro vislumbre que logo me entusiasma com o país. Natureza pura. Sem sinal humano.

Depois, o verde alterna com o castanho árido. Nesta altura, as temperaturas chegam facilmente perto dos 40. Um par de meses antes, os tons seriam mais cativantes. Entretanto, casas térreas. Cada vez mais. A pista aproxima-se e o A330 afaga o asfalto.

Entrar neste misteriosos país é mais fácil do que o suposto e habitual. Tenho queda para as complicações. Não é o caso. Não fica qualquer história para registo futuro. O ‘evisa’ custou 50 dólares (em embaixada, que não há em Portugal, são apenas 20), mas dá-me via verde para avançar.

O táxi é negociado em dois minutos. Quinze depois entendo o caos de trânsito de Yangoon. Em 30-40 minutos o hotel. E logo encontro quem espero: os meus amigos Daniel e Ana. Em périplo pela Ásia, ajustaram o roteiro para explorarmos, juntos, este país fantástico.

Estamos quase de saída…  

YANGON/RANGON

Esta é a maior cidade da Birmânia e, até muito recentemente, a sua capital. Decompondo a palavra Yangon, temos “fugir dos inimigos” ou “fim de conflito”. Daria muito para contar…

Por ter sido jugo britânico, sobram-lhe traços coloniais, embora a cidade de uns cinco milhões de habitantes mais pareça uma amálgama birmanesa, britânica, chinesa e indiana. Sobra, por isso, exotismo à menos desenvolvida das grandes metrópoles do sudoeste asiático.

Yangon – assumiu o nome em 1989, por desígnio da junta militar, substituindo a vigente Rangon – tem história de um milénio e começou como pequena aldeia piscatória.

Em 1941, um grande incêndio destruiu a cidade. Nem por isso a simpatia dos locais. Como budistas, os birmaneses são gentis. E são inseparáveis do seu “Longyi”. Não, não é saia…

_
Rui Bar­bosa Batista relata no blo­gue Cor­rer Mundo a sua via­gem pela China e Birmânia. No site www.bornfreee.com  pode ace­der a outros rela­tos e ima­gens sobre a viagem.

Esta entrada foi publicada em Ásia com os tópicos . Guarde o href="http://blogues.publico.pt/corrermundo/2015/03/27/min-ga-la-ba-birmania/" title="Endereço para Min-ga-la-ba, Birmânia!!" rel="bookmark">endereço permamente.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>