KUNMING

A “Cidade da Eterna Primavera”. É assim que a capital da província do Yunnan é conhecida. Obviamente, pelo clima temperado em boa parte do ano. A 2.000 metros de altitude, os seus 10 milhões de habitantes são brindados com um ar menos poluído do que as inúmeras grandes metrópoles chinesas. Ainda assim, o acelerado crescimento dos últimos anos já o contaminou.

Kunming tem 2.400 anos de história, mas foi só a partir de 1910, com a construção da linha do comboio para Hanoi (Vietname), que começou a prosperar, sendo hoje um exemplo nacional em termos de universidades, museus, galerias… Tornou-se num “hub” determinante para o comércio com o sudoeste asiático, pois o Yunnan faz fronteira com a Birmânia, Laos e Vietname.

Na II Guerra Mundial, Kunming albergou uma base norte-americana…

O Yunnan conta com 26 das 55 minorias étnicas da China, sendo que estas são cerca de um terço da população da província, que ronda os 50 milhões. Yi, Bai, Hani, Zhuang, Dai e Miao são as mais representadas.

E era uma vez uma mala que não chegou…

Quando já não resta mais ninguém, nem bagagem no tapete, a fatalidade torna-se oficial: Maria ficou sem a mochila. O que mais temíamos,  aconteceu.  E não foi por falta de aviso aos zelosos funcionários da KLM. Mais de 24 horas em viagem (Porto – Lisboa – Amesterdão – Guangzhou – Kunming… e as respetivas escalas) bem dispensavam este prémio final.

Nas reclamações, torna-se óbvio que não fazem ideia onde anda a mochila.  Vários telefonemas, em vão. É um filme que dispensávamos. E nem imaginávamos ainda quantos episódios… Sem novidades, voltamos ao aeroporto no dia seguinte. Informações, nada. Balcão da KLM? Não há.

Na parceira Southern China, não fazem ideia. Voltamos ao balcão informações/reclamações. Empatados. Falo com polícia na saída dos voos internacionais. Consigo que deixe Maria e a chinesa Patrícia irem ao local das reclamações, em zona que está proibida a quem está fora. Registos estão todos em papel. Molhados. Montes deles. Nada informatizado. Assim vai ser complicado…

Partiremos de Kunming sem qualquer novidade… Maria podia espalhar fúria, sobram-lhe motivos para isso, mas mostra o melhor dos sorrisos. Canaliza as energias para atitude positiva. A vida (mesmo que, subitamente, confusa) continua…

_
Rui Bar­bosa Batista relata no blo­gue Cor­rer Mundo a sua via­gem pela China e Birmânia
. No site www.bornfreee.com  pode ace­der a outros rela­tos e ima­gens sobre a viagem.

Esta entrada foi publicada em Ásia, China com os tópicos . Guarde o href="http://blogues.publico.pt/corrermundo/2015/03/03/kunming/" title="Endereço para KUNMING" rel="bookmark">endereço permamente.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>