The Portuguese Wine Invasion | Regiões vinhateiras irmãs: o Douro e o Missouri – Dia 3 da invasão dos vinhos portugueses

Alguma vez se sentou com alguém numa mesa e pensou: “O que é que partilhamos em comum?”. Tenho a certeza que já o fez. Todos nós já o fizemos e reflectimos sobre isso.

Ontem, viajando pelo Estado do Missouri, de Kansas City para St. Louis, decidimos efetuar uma curta pausa no Les Bourgeois Winery, para uma visita e uma prova. Com um conhecimento muito reduzido sobre o Missouri, achámos que era a hora certa para um curso intensivo sobre a cultura vínica do Midwest, com o apoio de Danene Beedle.

Les Bourgeois Winery

Les Bourgeois Winery

O que torna esta viagem tão espectacular é o facto de nos apercebemos do que partilhamos em comum. Não interessa a distância, a diferença ou quem pensamos ser. Há sempre algo pequenino que nos une. E como em muitas outras ocasiões, tudo pode começar pelo vinho.

Sabia que a Região de Vinhos de Augusta, muito próxima da cidade de Augusta, no Missouri, foi a primeira região vinícola demarcada nos EUA? Ah, pensou que tinha sido a região de Sonoma ou Napa, não foi? A 20 de junho de 1980, Augusta foi reconhecida como a primeira American Viticultural Area (ou AVA), nos EUA. Incrível não é?

Como comparar esta situação com Portugal? Bem, a primeira região vinícola formalmente demarcada no mundo foi o Douro, em 1756. Todos ficam boquiabertos ao se aperceberem que não é França que pode reclamar para si este feito. Assim, ambas as regiões, a portuguesa e a americana, partilham um laço em comum: o ousado espírito pioneiro.

Porque é que isto é importante?

Importa a dois níveis: em primeiro lugar porque não ficaríamos a saber desta informação se não tivéssemos feito o esforço de atravessar o Missouri nesta nossa viagem. Tal como Portugal, o Missouri é normalmente colocado de lado quando se elege o top10 de lugares a visitar nos EUA. Mas ficámos surpreendidos com a quantidade de coisa diferentes para experimentar, ver e provar! E, em segundo lugar, apenas por termos partilhado a nossa história uns com outros, acabamos por criar laços que nos unem.

Partilhámos novamente este espírito no Parker’s Table, em St Louis, com pessoas verdadeiramente genuínas e interessantes – partilhámos histórias sobre as nossas vidas, as nossas famílias e sobre a nossa cultura, enquanto nos banqueteávamos com a incrivelmente deliciosa carne grelhada. A vida não poderia ser melhor!

Parker's Table

Os Invaders no Parker’s Table

No final, talvez tudo seja uma questão de atitude. Passámos tempos incríveis com cada um dos presentes… o que torna difícil não estar constantemente à procura de semelhanças entre nós, de coisas que nos fazem humanos e tão idênticos. E talvez, por esta razão, temos encontrado pessoas sempre dispostas a abrir as portas das suas casas, acolhendo-nos com grandes sorrisos e de braços abertos, partilhando a sua gastronomia, os seus vinhos e as suas vidas.

St. Louis Arch - Missouri

Pedro Pintão (Poças Júnior), Julia Kemper (Julia Kemper), Óscar Quevedo (Quevedo) e Vítor Mendes (Quinta de Gomariz) junto ao Arco de St. Louis, Estado do Missouri

Hoje gostaríamos de brindar ao Missouri. Obrigado por todo o tempo que passaram connosco. Estamos definitivamente decididos a voltar a visitar-vos na próxima oportunidade!

Na próxima paragem, Indianápolis, vamos estar presentes no evento da Palate Press , tendo David Honing como anfitrião!

Esta entrada foi publicada em América do Norte, EUA com os tópicos . Guarde o href="http://blogues.publico.pt/corrermundo/2013/06/05/the-portuguese-wine-invasion-regioes-vinhateiras-irmas-o-douro-e-o-missouri-dia-3-da-invasao-dos-vinhos-portugueses/" title="Endereço para The Portuguese Wine Invasion | Regiões vinhateiras irmãs: o Douro e o Missouri – Dia 3 da invasão dos vinhos portugueses" rel="bookmark">endereço permamente.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>