Saudades…

8h02m estação Gent St. Pieters. Hoje parece um daqueles dias em que toda a gente decidiu ficar na cama, mais uns minutos do que o normal. No meu Portugal que deixei há quase um ano atrás, estaria a esta altura ter alguns desses minutos preciosos em que lentamente aceitamos o dia que está para vir.

Passou quase um ano que embarquei numa grande viagem que mudou a minha vida para sempre. Mudou a forma como vejo o mundo e a forma como vejo as pessoas. Recordo então alguns comentários que alguém deixara na página com a entrevista que o Público me fez. Diziam que por esta altura, estaria eu a trabalhar como tantos outros, a querer casar e a planear ter filhos. Por esta altura estaria eu pronto a aceitar uma vida que anteriormente me recusara a aceitar.

1 de Agosto de 2012, comboio Gent – Erembodegem. Nos últimos meses, faço esta viagem todos os dias. Trabalho agora para uma grande companhia norte americana, que vende e produz instrumentos de diagnóstico médico. Tenho uma namorada com quem planeio viver, mais uma tatuagem no braço, o mesmo cabelo desalinhado que sempre tive, e um extremo vazio nos olhos por estar muito longe do que imaginei estar a fazer.

Tenho viajado bastante desde que aqui cheguei, mas admito que não sabe ao mesmo que pude saborear em viagens passadas. Nos últimos meses, sempre em trabalho, estive nos Estados Unidos, Alemanha, Holanda, e Bélgica como é lógico. No entanto acordo todos os dais com a mesma sensação que me levou a partir.

Hoje é o dia em que vou anunciar que vou deixar o trabalho que tenho agora. Não porque não queira trabalhar. Nada disso. Apenas sinto e sei que tenho algo muito maior para vir e algo muito mais importante em mente para construir.

Tenho algo já preparado para Setembro mesmo depois de mais uma viagem que irei fazer durante algumas semanas.

Sou um cidadão do mundo, tal como alguém disse há não muito tempo atrás. Ouço música Portuguesa no meu iPod, tenho o passaporte cheio de carimbos e memórias, bilhete de identidade Português num bolso, e Belga no outro. Penso em Sarah, Catherine, Sudoeste Asiático e no meu país. Penso no que tanto deixei para trás e pergunto-me onde quero chegar.

Leio no quadro electrónico do comboio “We komen aan in Lede”. Falta apenas uma estação e Aalst. Mudar de comboio, sorrir para a rapariga de olhar tímido que vejo há 3 meses sempre no mesmo comboio, e 3m a andar até o meu trabalho.

 

Sinto-me a parar…

Ou talvez seja apenas o comboio que abranda para chegar à estação. No fim sinto falta de ter que apanhar aquele último autocarro para nenhures.

Irei continuar com algumas histórias sobre viagens e sobre Gent, neste site http://findmesomewhere.blogspot.com. Estarão em inglês e em português, para que todos possam entender.

16 comentários a Saudades…

  1. Olá Filipe, não queria de forma alguma deixar de desejar um Ano 2013, cheio de boas viagens!!! Será que ainda está por Gent, ou veio até este Portugal! que agora e muitas vezes nos parece estranho!!!É…dá mesmo vontade de abalar…. Não seja um pouco de sol neste “Inverno”, que ainda nos aquece um pouco a alma,e alguns famíliares!

    Bom Ano 2013
    Ana

    Responder
    • Olá Ana. Muito muito obrigado e feliz 2013 para si também. Ainda estou em Gent mas talvez de partida. Estive em Portugal uns tempos para matar saudades e tenho que dizer que soube muito bem. Só foi pena ver que muita gente não vê o bonito país que aí temos.

      Agora voltei a Gent, mas como procuro emprego novamente, não sei ao certo se aqui irei ficar. Infelizmente o racismo por estas bandas começa a ser cada vez maior, e torna-se difícil manter a calma e manter as boas intenções com quem me recusa emprego dia após dia apenas por eu ser estrangeiro. E quando o dizem abertamente ainda pior.

      Mas nem tudo são más notícias, e amanhã Catherine, que foi uma presença nas minhas histórias, irá visitar-me por 3 dias. Será sem dúvida interessante, até porque passou um ano sem nos vermos.

      Novamente tudo de bom.

      Filipe

      Responder
      • estava a escrever, e quanto à dificuldade arranjar emprego fora! penso é muito ( culpa nossos governantes)! pois vendem uma imagem dos portugueses em dificuldade,um Portugal à deriva….não de pessoas com valor reconhecido que somos! Sabe estou a escrever esta msg., com um ( pôr do sol), espectacular com uma temperatura 16º.

        Tudo de bom e muita felicidades e bastante optimismo.

        Ana

        Responder
  2. Olá Filipe,

    Estou a pensar fazer uma viagem à volta do mundo e estou a tentar encontrar pessoas que já tenham feito essa aventura para pedir algumas sugestões e tentar esclarecer alguma dúvidas. Se estiveres interessado gostaria muito de poder entrar em contacto e ouvir a tua experiência!

    Obrigado

    Obrigado

    Responder
  3. Sinto o mesmo quando vou todos os dias para o trabalho, um vazio, uma sensaçao de inutilidade… no purpose at all..
    Transporto a minha mente para lugares distantes, imagino a minha proxima viagem, as cores, os cheiros, os olhares, tudo me preenche.
    Odeio rotina, estagnar, é como uma prisao perpétua, “a life sentence of the mind”!!
    Gent… cidade pequena, nada mais para descobrir, fica-se na fronteira entre o voltar as origens ou ficar onde se está… dificil, os medos sao muitos… mas medo de que afinal?

    Responder
    • Olá Maria, tb já vivi em Gent e tinha o mesmodilema. Regressei às origens e, apesar de tuso, não me arrependi até agora. Mas, de vez em quando,lá bate a saudade de Gent…! Acho que deves sim viajar! Prettige reis!

      Responder
  4. Não se pode escrever melhor sobre as saudades. São isso exactamente. Esse vazío que sentes enquanto procuras o sentido da vida. Olhas para trás e vês felicidade; olhas de frente, e simplesmente não vês nada.

    Responder
  5. “It’s not enough that we do our best; sometimes we have to do what’s required.”
    Churchill.
    But..sometimes we don’t.
    Espreito este blog através do Fugas Online e sinto-me tão eu.
    Ainda é complicado ser compreendido quando o que nos enche a cabeça são as ideias.

    Responder
  6. Olá Filipe, de volta a outras aventuras….sabe que lhe digo…. Portugal, é e será sempre o nosso (porto de abrigo), a nossa Nação! Mas neste momento, quem não quer voar para novas paragens e experiências!!! Eu estou reformada desde Julho, e brevemente irei preparar uma saída!voluntariado quem sabe,este é um dos sonhos quero concretizar….ser útil, dar o meu saber, carinho e vontade a quem mais precisa….. e à tanto por esse Mundo fora!
    Viajar está também nos meus planos…mas neste momento, é o ser útil que mais me chama!!! Boa sorte para o Filipe e A todos os viajantes do (Mundo), e já tinha saudades deste diálogo!

    Beijinho
    Ana

    Responder
    • Ola Ana. Fico muito contente por saber o que esta prestes a fazer. Nao se esqueca de enviar noticias e de aproveitar esta viagem e ainda mais o facto de fazer voluntariado. A vida nunca para, e o mundo e mesmo bem mais pequenodo que pensamos.
      E desde ja peco desculpa mas estou num teclado sem acentos :). Viver na Belgica da nisto.

      Responder
    • Ana, ao ler as suas palavras as faço minhas porque partilho os mesmos sentimentos. Há tanto para dar e mundo para ver que ficar na rotina não tem sentido.

      Bjnhs

      Responder
  7. Goeienavond Filipe! Ainda em Gent! és como eu: apesar da crise e do desemprego, tb te despedes! Amanha serei eu a despedir-me! Tb sou a romântica que ainda acredita poder um dia encontrar algo que lhe dê prazer fazer. Tot ziens…

    Responder
    • Ola Silvia. Sim ainda em Gent e prestes a arranjar uma casa so para mim. A vida muda com alguma facilidade, e quem sabe onde estarei amanha. Mas e isso que importa. Nunca parar. Como dizia Steve Jobs “Stay foolish. Stay hungry”.

      Responder
      • Olá Filipe, também vivo em Gent (9 anos)….
        Para o ano quero fazer uma viagem (longa) pela india, nepal, tailandia..
        Quero fazer 10 dias de vipassana (meditaçao) no nepal… e continuar viagem.. descobrindo, vivenciando, procurando..

        Responder
      • Olá silvia,

        Quanto tempo estiveste em Gent? Eu estou cá ha 10 anos…. já nao sei onde pertenço… ás vezes parece que o tempo nao passou, apenas ficou em “pausa” como será quando iniciar o ffw?
        Eu também queria voltar a Portugal, mas teria de deitar fora o que construi nestes ùltimos 10anos, o que é dificil. Como te adaptaste de volta? Um abraço, MAria

        Responder

Responder a Luisa Cancelar resposta

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>