Alinhamentos da História

Ainda em Bandung, visitámos o museu dedicado à Conferência afro-asiática, remetendo-nos para o mundo de meados de século XX e recordando algumas das figuras do movimento dos não-alinhados: Nehru, Nasser, Sukarno entre outros.  Fotografias, objectos da época – máquinas de escrever, mobiliário, câmeras de filmar – ilustram uma parte da História recente em que se proclamaram generosos princípios de cooperação, solidariedade e defesa da paz.

Vale a pena percorrer os painéis explicativos, ver o documentário e, durante alguns minutos, sentarmo-nos na grande sala da conferência que procurou no não-alinhamento uma alternativa. Saímos com a sensação de que ficamos aquém do que seria necessário.

 

Cascatas e grutas

Nas imediações de Bandung há um parque rodeado de floresta tropical que justifica uma visita. São 5 km quadrados de vegetação ao longo de um rio cortado por cascatas que ganhariam com um menor ajardinamento dos acessos e mais cuidado com a limpeza. No percurso, encontrámos pequenas tendas de venda que se animam aos fins-de-semana quando os indonésios escolhem o lugar para conviver. Cruzámo-nos com gente a fazer trabalhos que já nos esqueceramos que existiam.

O que dá nome a este espaço não são só as cascatas: um grande túnel construído pelos holandeses atravessa rectilineamente o monte num entrecruzar de galerias húmidas. As razões primitivas da sua construção permanecem obscuras mas sabe-se que este lugar teria sido usado como centro de comunicações antes da invasão japonesa. Mais adiante entrámos noutra gruta que teria sido paiol e refúgio de soldados japoneses durante a II Guerra Mundial. As duas grutas teriam sido usadas para manter prisioneiros nas diferentes encruzilhadas da História recente. Esta lembrança associada à escuridão e à humidade das galerias provocou-nos calafrios e foi com alívio que reencontrámos o calor húmido e luminoso da floresta. Uma família meteu conversa connosco e pediu que lhes tirássemos uma fotografia. O avô foi chamado para nos escrever o endereço para onde enviar o retrato em papel como compete a uma fotografia de família que se preze.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>