As grutas de Tham Kong Lo

O dia começava lento como de costume em Vientiane. Decidira viajar por mais uns dias com a minha amiga e após a aventura de 22h, sabia bem ter alguém conhecido comigo. Esperava-me no entanto mais uma longa viagem de autocarro.

O que no início seria uma viagem de 4h, transformou-se como em tantas outras vezes, numa viagem de 8h. No entanto chegados a Tham Kong Lo, o cenário era simplesmente impressionante.

As montanhas cobertas por um denso manto de nuvens, abraçavam o vale coberto pelo verde dos campos de arroz. Enquanto descarregávamos as coisas do autocarro local, os poucos habitantes daquela aldeia, chegavam gritando Sabaidee, Sabaidee.

Era tarde e eu estava simplesmente esgotado. Precisava de um banho, de comida, e no fim precisava de algo mais como palavras de um amigo, ou até mesmo de um abraço de alguém conhecido. Viajar durante tanto tempo, torna-nos vulneráveis a coisas que nunca pensei ser antes. Apesar de tudo, decidimos trocar a guesthouse com um look definitivamente europeu, por uma estadia em casa de locais. Por pouco mais de 5 euros, tivemos um local para ficar, incluindo jantar e pequeno almoço.

Fomos recebidos de braços abertos e mesmo sabendo que muito estaria a ser decidido pelo dinheiro que iríamos pagar, senti que lá no fundo, mesmo não conseguindo comunicar em qualquer língua que eu conhecesse, com eles, fomos genuinamente bem tratados.

Apressadamente, os patriarcas daquela casa, correram para nos cobrir os braços com pulseiras brancas. Enquanto isso, os restantes entregavam-nos comida preparada numa lareira instalada no meio da casa. Era impressionante o pouco que eles tinham para oferecer, e mesmo assim, faziam-no sempre com um sorriso na cara.

Para o resto da noite esperava-me um mosquiteiro, uma casa de banho fora da casa, e uma longa noite sem dormir.

Acordando de manhã, bem perto das 6h, recordo-me do sorriso com que me despedi daquela família, para não os voltar a ver. Sem dúvida que a partir daqui guardo algo que dificilmente consigo por em palavras.

2 comentários a As grutas de Tham Kong Lo

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>