PÚBLICO

O blogue de 10 políticos em campanha

Comício Público

O Estado social que o PS rejeita

Visitas a misericórdias, em Portimão e Tavira. António Costa cometeu um erro crasso nestas eleições e não é de agora: desmereceu o sector social. O dr. Centeno promete cortar na acção social, sem especificar onde e quanto. Os intelectuais orgânicos do PS vislumbram nas IPSS’ e misericórdias um obscuro e ameaçador “Estado paralelo” que urge debelar. Eles que nada disseram no tempo das PPP’s e das empresas públicas, é assim que olham para as instituições deste sector. E tudo pelo pior motivo: a ideologia do estatismo social. Renegar esta gente profissional e empenhada da acção social vai sair caro a António Costa.

Comentários

2 comentários a “O Estado social que o PS rejeita”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *