A personagem que foi da BD para o Twitter

Ciberescritas

Isabel.Coutinho@publico.pt

Ora por cá também já há quem esteja a utilizar o Twitter para contar histórias. Na crónica da semana passada anunciávamos a primeira “twitterização” de um romance brasileiro, “Santos Dumont Número 8”, do brasileiro Cláudio Soares. Esta semana vamos falar do projecto português VoyagerBD no Twitter, que até começou a funcionar um dia antes do projecto brasileiro. O Voyager passou para o Twitter a 31 de Março e este serviço de rede social descrito como “microblogging” está a ser utilizado para contar histórias de uma personagem originalmente criada para BD. O coordenador do projecto é Rui Ramos, geólogo de formação, autodidacta em BD, para quem o Twitter se está a revelar “um excelente meio para desenvolver personagens para além dos meios originais para os quais foram criados, nomeadamente romances e BDs.”
Tudo começou o ano passado quando uma equipa de argumentistas e artistas portugueses a viver em vários pontos do país, e que trocavam esboços das histórias por correio electrónico, se estreou com um projecto de BD inspirada no imaginário de H. P. Lovecraft. Tratava-se de “Murmúrios das Profundezas” que teve edição em livro, com uma tiragem de 200 exemplares, e acabou por ser nomeado para os Troféus da Central Comics deste ano (nas categorias de melhor fanzine e melhor projecto de BD).
Inspirados pelo Universo macabro criado por Lovecraft, oito artistas uniram-se para criar seis contos de terror/fantástico em BD, “povoados por segredos horripilantes, monstros e seitas adoradoras de Deuses Ancestrais sedentos por sangue”, explicam num “post” do blogue que criaram para divulgar a obra. “Murmúrios das Profundezas” reúne contos escritos e desenhados por Rui Ramos, Diogo Campos, Flávio Gonçalves, Luís Belerique, Ricardo Reis, Diogo Carvalho, Phermad e Vanessa Bettencourt.
Após o inesperado sucesso deste livro de estreia (“Murmúrios das Profundezas” está esgotado), explica Rui Ramos, a mesma equipa decidiu começar a trabalhar num novo projecto de BD original de ficção-científica: o “Voyager”. Conta as aventuras de um turista acidental que tem a capacidade de viajar de uma dimensão para a outra.
Está a ser publicado mensalmente “on-line” – uma prancha por mês que se pode ver no blogue – e estas aventuras mensais irão ser compiladas, em conjunto com um conto inédito, num livro a publicar ainda este ano. Entretanto, enquanto os episódios mensais são desenhados, decidiram utilizar o Twitter como ferramenta para contar “em primeira mão e em tempo real” mais aventuras inéditas do Voyager.
Quando se segue o “Voyager” no Twitter lêem-se mensagens de 140 caracteres ou até menos. É como se estivéssemos a ler um diário da personagem, o tal turista acidental que tem a capacidade de viajar de uma dimensão para a outra. Por exemplo: “Ouço passos no corredor lá fora… Aproxima-se alguém…” e dias depois: “Raptado! Arrastaram-me do meu quarto até uma espécie de dirigível e levaram-me pelos céus de Faluhdja, rumo a parte incerta!”.
“O Twitter é um complemento à BD, uma forma que encontramos para contar mais peripécias e desenvolver um pouquinho mais a personagem e, quem sabe, cativar audiência que não é propriamente apreciadora de BD”, explica Rui Ramos a um dos leitores que colocou um comentário no blogue em que dizia que embirrava com o Twitter. “Assim, esperamos mostrar que o V não se esgota na BD, nem no Twitter. Quem sabe que novas formas de contar histórias não aparecem por aí?.”

Murmúrios das Profundezas
http://murmuriosdasprofundezas.blogspot.com/

Voyager BD
http://voyagerbd.blogspot.com/

Voyager no Twitter

http://twitter.com/VoyagerBD

(crónica publicada no suplemento Ípsilon, do jornal PÚBLICO, de 17 de Abril de 2009)

Um comentário a A personagem que foi da BD para o Twitter

  1. Quero agradecer publicamente, em nome de toda a equipa, pelo artigo que escreveu sobre o nosso projecto.

    O nosso muito obrigado,

    Rui Ramos

Deixar um comentário