Com Jacques Audiard, assistindo à metamorfose

Em De Rouille et D’Os algo se torna mais explícito, menos secreto e até mais gongórico na obra de Jacques Audiard, cineasta francês de trajectória particular, que se iniciou como realizador em 1994 aos 42 anos com Regarde les Hommes Tomber, e que em 18 anos realizou apenas seis longas (argumentista e realizador, experimenta sempre […]