Coreografias do mundo a ruir em Baltimore

Transbordante é o cinema musical – com canções ou não – de Matthew Porterfield.  Matthew Porterfield, 36 anos, cineasta de Baltimore, três longas-metragens: Hamilton (2006), Putty Hill (2010) e, neste Indie, I Used to Be Darker (19, 6ª, às 16h15, 25, 5ª, 16h15 – S. Jorge). Uma experiência a ser conquistada pelo espectador: chegar próximo […]

Vemos gente morta

A Alambique vai editar em DVD O Cerco de Leninegrado/Blockade, de Sergei Loznitsa. Na altura da Retrospectiva integral na Culturgest, Lisboa, 2011, surgiu a oportunidade para uma conversa com o cineasta. Fantasmas da História,  brutalidade ancestral – para o espectador, um abanão.  

Irène, e o cinema viveu duas vezes

 Um homem e a sua câmara atrás de uma mulher que morreu há mais de três décadas. Alain Cavalier diz-nos que durante esse tempo ela lhe batia à porta – havia coisas para concluir entre os dois. Foi com este cinema solitário, diarístico, que acredita nos objectos como sinais (de emoções, de presenças), que Cavalier […]

Ponte para a infância de Ben e Josh Safdie

Dois irmãos, o caos na infância e a necessidade de catarse. Dois cineastas, o filme do trauma e uma transbordante fantasia. Que nos rapta.   “Vão-me buscar alecrim”/”Go get some rosemary”. Em busca da infância perdida de Joshua e Ben Safdie com a ponte Queensboro em fundo

O meu Fassbinder

Foi ela que montou a década final da obra de Fassbinder. Foi ela que partilhou os seus últimos anos. Foi ela que o descobriu morto. Ela é Juliane Lorenz, a responsável pela Fundação Fassbinder, a quem se deve o restauro de “Man on a Wire”, mini-série de ficção científica que o cineasta alemão experimentou no […]

Maladie d’amour

Apesar da luz – e de um rio -, Um Amor de Juventude prefere as zonas sombrias. Como Mia Hansen-Løve, realizadora que na escuridão se sente mais compreendida