(Quero ver nas salas portuguesas. Visto em Cannes 2011) Uma promessa argentina na Semana da Crítica de Cannes. Isto não só porque se trata da primeira longa-metragem de Pablo Giorgelli e porque é isso que se deve dizer: que perante Las Acacias não poderemos, a partir de agora, não estar atentos ao contributo deste cineasta nascido em 1967 em Buenos Aires. Também porque este filme começa com um deslumbrante plano de árvores e há nele uma promessa que passa a viver no interior de Las Acacias – um road movie mas se calhar seria mais correcto dizer que é um huis-clos, já que grande parte do filme se passa dentro de um camião.

Auto-estrada que liga Assuncion, Paraguai, a Buenos Aires, Argentina. Um camionista, camião carregado de madeira (os troncos das árvores que vimos serem derrubadas no tal plano inicial que nunca mais é repetido, como não o é a folhagem luxuriante). O patrão “encomendou-lhe” uma companheira para os 1500 quilómetros de viagem: uma mulher que vai procurar trabalho em Buenos Aires e precisa de boleia. Ela não chega sozinha, traz bebé.

O jogo de olhares entre eles, o enfado e crispação iniciais destes seres (sobretudo ele) não dispostos já a contemporizar com o desarranjo das rotinas porque as suas histórias passadas os vergaram a serem figuras sem histórias (ele e ela), e depois a descoberta que vão fazendo, deles próprios e um do outro, é assim tão delicado e silencioso porque não obedece a nenhum plot na fórmula boy meets girl (neste caso, homem e mulher na idade madura) ou “formação de casal com bebé”. Giorgelli, que em adolescente deixou o Latim e a Matemática para correr para o cinema, esconde o plot.

O que começa a sobrepor-se ao filme e a invadir-nos é a possibilidade contida naquele plano inicial de uma natureza em explosão e no título, Las Acacias, que ecoa e fica connosco depois de tudo acabar. Pode ou não cumprir-se, não sabemos, não interessa. O que interessa é que o filme é capaz de se abrir a essa possibilidade. E não trair o (nosso) deslumbramento.

Do país de Lucrecia Martel, Lisandro Alonso ou Daniel Burman.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>