Sexo com o iPhone

O sexo, aqui e agora. E o iPhone. Mates, de António da Silva, é uma espécie de GPS do desejo nos dias de hoje. Em cinco minutos. Sexualmente explícito e singularmente contraditório: tomado pelo êxtase dos corpos, ameaçado pelo abandono auto-reflexivo – por alguma nostalgia, mesmo. Isso foi o ano passado, o realizador português que vive e trabalha em Londres prepara-se para apresentar na edição deste ano do QueerLisboa, Bankers, ou um urinol público depois do almoço – a ele voltaremos

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>