O silêncio que fala

  Num Festival Gay e Lésbico, um filme que cala qualquer “programa” e se descobre como puro cinema, libertando-se da necessidade de nomear: Habana Muda, de Erich Brach  Um operário cubano, mudo, casado e com filhos, apaixonado pelo amante mexicano. Uma história de homossexualidade em dificuldades na ilha dos Castro? Se fosse isso, qual o papel do […]

Pôr as mãos no fogo

No Programa Curtas Queer Art, 5ª, 27, QueerLisboa (19h30), há Parabéns (1997), de João Pedro Rodrigues, e O Que Arde Cura, de João Rui Guerra da Mata (2012). Esta é a curta com que Guerra da Mata se autonomiza de uma colaboração de anos com Rodrigues. Que interpreta o filme. Filme que a ele é dedicado. No argumento, a […]

O filme social engolido pela paranóia

O Dead Man de Jarmusch, o Alphaville, de Godard, o Tirez sur le Pianiste, de Truffaut – não são referências muito lá de casa do “cinema iraniano”, mas têm sido atiradas por vários textos, por exemplo um de Jonathan Rosenbaum, sobre O Caçador, de Rafi Pitts. É o resultado visível, nos filmes, da história de […]

O urinol, depois do almoço

          Urinar, apalpar, masturbar à hora de almoço, casa de banho pública de Londres. Homens de fato e gravata. Bankers. Bancários. Versão particular da crise no Queer Lisboa. São contidas as masturbações destes bancários. Não há palavras, apenas sinais, poucos sons do corpo – até porque este urinol público está colado […]

(Quero ver nas salas portuguesas. Visto em Viena 2011) Hermes Paralluelo (catalão de origem, a filmar na Argentina) filia os meninos “cartoneros”, que andam nas ruas a recolher caixas de cartão no lixo para venda e reciclagem (isto passa-se num bairro da lata de Córdoba), na dignidade e heroísmo dos clássicos – isto é, filiação […]

(Quero ver nas salas portuguesas. Visto em Viena 2011) Quando o vi, esteve por um fio (se é que não aconteceu) o vale de lágrimas generalizado, na sala do Kunstlerhaus Kino, Viena. No ecrã, os rituais de uma Sexta-Feira Santa em Trapani, Sicília, quando uma cidade se transforma num corpo único em volta de andores e […]

 (Quero ver nas salas portuguesas. Visto em Cannes 2011) Uma promessa argentina na Semana da Crítica de Cannes. Isto não só porque se trata da primeira longa-metragem de Pablo Giorgelli e porque é isso que se deve dizer: que perante Las Acacias não poderemos, a partir de agora, não estar atentos ao contributo deste cineasta […]

Um veterano da adolescência: Antonio Campos

  Estará no Córtex, festival de curtas-metragens de Sintra (28 Novembro e 2 Dezembro, no Centro Cultural Olga Cadaval), acompanhado por Josh Mond, um dos seus sócios de um dos pólos do novo indie novaiorquino, a Borderline Films – o outro é Sean Durkin, realizador de Martha Marcy May Marlene. Eis como Antonio Campos, norte-americano, […]

A geração perdida

Em 1994, O Papagaio de Papel Azul, de Tian Zhuangzhuang, chegava aos ecrãs portugueses. Um grito surdo como o som de um corpo a cair quando explodem as celebrações de um final de ano. Admirável e comovente, era a homenagem a uma geração perdida por um cineasta de outra geração perdida: a Quinta. Aquela que, de Zhang […]