O meu palmarés

“Killer Joe” comportou-se como filme incorrecto, isso pode prejudicar as suas aspirações ao Leão de Ouro. “Shame”, de Steve McQueen, tem a sua autoridade salvaguardada. A não ser que o júri seja tentado pela arte mefistofélica de Sokurov. Amanhã, o palmarés da 68 edição do festival de Veneza. Darren Aronofsky e os outros jurados vão […]

Encontros imediatos do terceiro grau com a comédia italiana

Finalmente, “cinema” italiano no concurso de Veneza, “L’Ultimo Terrestre”, de Gian Alfonso Pacinotti. Houve outros filmes italianos, de Cristina Commencini, de Emanuele Crialese. Mas este é um OVNI: um filme que se confronta directamente com um patrimonio. Pacinotti (esta é a primeira longa-metragem de um criador de BD) coloca a comédia italiana a navegar no […]

Cão danado!

Deve ter sido assim Cannes, Quinzena dos Realizadores, 1992, “Cães Danados”, de Quentin Tarantino. Veneza, competição, 2011, “Killer Joe”, William Friedkin. Seu cão danado! Reacção entusiasta. E uma conferência de imprensa com a mesma liberdade deste “cineasta velho”: sempre sob a ameaça de ele desatar a cantar o “Nel blui dipinto di blu” de “Volare” […]

“Wuthering Heights”

Atirar-se ao “Monte dos Vendavais”, de Emily Bronte, retirando-lhe o gótico, investindo com uma sensibilidade contemporânea. A sensualidade juvenil de Cathy e Heathcliff é conseguida à custa de muita câmara aos saltos. Isso engana. Na segunda parte, Cathy e Heathcliff adultos, o convencionalismo expõe-se. Andrea Arnold continua a tentar.

Eastern

Onde chegará “People Mountain People Sea”, de Cai Shangjun, o “filme surpresa” da edição de 2011? Para já a sessão em que a imprensa o viu ficou marcada por uma ameaça de incêndio na sala. Algum pânico, gente a sair às escuras, sessão interrompida (o júri, Darren Aronofsky a presidir, David Byrne e os outros, […]

A catástrofe Ferrara

  Abel Ferrara: alguns dos seus filmes correm o risco de se extinguirem durante a projecção porque nesse momento se torna manifesta a sua fragilidade, a sua impossibilidade. Por isso, é preciso ver “4:44” (competição). Só visto, só então sentido. É um filme-catástrofe. Em sentido literal: o mundo vai acabar, às 4h44 da madrugada (é […]

Steve McQueen, cineasta

É quando Carey Mulligan canta num clube nocturno de Nova Iorque,  “New York, New York” em registo “blues”, “dowtempo”, que se percebe que temos cineasta. Num outro filme essa sequência teria duração funcional: alguns acordes, eventualmente o refrão, e a seguir corte… Mas McQueen faz-nos ouvir a interpretação toda – Mulligan é assombrosa, de resto. […]

Um filme doce

  O cinema de Todd Solondz anda há anos a fazer reduções e ampliações à volta das mesmas figuras. (Pedofilia a mais ou a menos…) Desta vez equilibra-se num ponto justo entre a empatia e a ironia, que faz de “Dark Horse” o seu filme mais doce.

“Shame”

“Shame”/ “Vergonha”. Nada no filme explica o título. Steve McQueen contava, em conferência de imprensa, que foi a palavra que mais apareceu nos relatos dos nova-iorquinos que entrevistou durante a pesquisa para o filme: ou seja, esta para além do visível e do figurado (mas está lá). É este o poder deste filme sexualmente explícito: […]