“Crazy Horse”, por Frederick Wiseman: um espectáculo chamado “Désir”

O coreógrafo Philippe Découfflé trabalha num espectáculo chamado “Desir” para o “nude show mais chic” do mundo. Frederick Wiseman filma. Sente-se menos do que em outros filmes do documentarista americano a estrutura de um organismo vivo em marcha, o que pode provocar solavancos na expectativa do espectador. Mais do que os bastidores, por exemplo, o que interessa a Weiseman são as nádegas. Não é coisa de octogenário babado. É coisa irónica – e de uma inocência quase infantil. Coisa de falsificação. E de fantasmas. Não o que está do lado de lá do palco do “cabaret”, nem, definitivamente, a expressão interior de qualquer “personagem”. Mas o que está do lado de cá. As fantasias que nós criamos.

Esta entrada foi publicada em Festival de Veneza 2011 com os tópicos . Guarde o href="http://blogues.publico.pt/camaraescura/2011/08/31/crazy-horse-de-frederick-wiseman/" title="Endereço para “Crazy Horse”, por Frederick Wiseman: um espectáculo chamado “Désir”" rel="bookmark">endereço permamente.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>