“Killer Joe”

Foi tratado pelo La Repubblica como “o velho” do festival, elogio que costuma ir parar invariavelmente a Manoel de Oliveira. E William Friedkin tem apenas 72 anos. Ou seja, tão novo e já com um elogio destes. Mas compensará – estamos a salivar por “Killer Joe”, filme em competição – com ferocidade. Um “thriller” cheio de “brutalidade e sexo”, diz ele. Escrito por Tracy Letts, argumentista de “Bug”. Ao jornal italiano Friedkin fala sobretudo do que não gosta. Isto é, do cinema contemporâneo. “Para adolescentes, não para adultos”. Ele não tem nada a perder. Percebem a nossa ansiedade?

 

4 comentários a “Killer Joe”

Responder a Vasco Câmara Cancelar resposta

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>