É assim que se enfrenta o poder

Na Rússia, um polícia não é necessariamente um amigo. As autoridades no país são frequentemente acusadas de abusos e arbitrariedades sobre os cidadãos e reina um sentimento de impunidade entre as forças de segurança. Agora, um grupo de ativistas que inclui os nossos colegas russos da Transparency International decidiu virar o bico ao prego e exigir maior responsabilização aos polícias. Como? Pessoalmente!

Aproveitando a recente aprovação de uma lei exigindo que todos os polícias usem um crachá de identificação, os ativistas saíram à rua em dez cidades russas pedindo para ver a identificação dos agentes. Aqueles que não a traziam consigo foram alvo de queixas. “A ação correu supreendentemente bem”, diz Ivan Ninenko, da Transparency International Russia. “Mostrou a importância da fiscalização pública sobre a polícia. Muitos de nós receámos que tudo acabasse em detenções ou agressões policiais, mas conseguimos evitar a violência”, acrescenta. “E o resultado mais importante que alcançámos foi que a maioria dos agentes em Moscovo passou a usar os crachás. Podemos sempre repetir a ação se, por alguma razão, pararem de os usar”.

Uma coisa tão simples como poder identificar os polícias envolvidos num incidente é crucial para evitar abusos. Esta ação mostra também que é confrontando diretamente os poderes que se conquistam mudanças. Uma lição valiosa – na Rússia ou em qualquer outro lugar.

Esta entrada foi publicada em Sem categoria com os tópicos , , . Guarde o href="http://blogues.publico.pt/asclaras/2012/06/15/e-assim-que-se-enfrenta-o-poder/" title="Endereço para É assim que se enfrenta o poder" rel="bookmark">endereço permamente.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>