Apanhados

coluna do Público de 26 de Novembro

Existe uma ironia qualquer — com o seu quê de trágico, como a maior parte das ironias que pululam por aí — no que está a acontecer na SIC. Abre-se o site da estação de Carnaxide e olhamos para as apostas do canal: VIP Manicure, O Momento da Verdade, Podia Acabar o Mundo, Rebelde Way, A Favorita, Zé Carlos

Olhamos para as audiências e verificamos que os números melhores e mais consistentes, à excepção do Zé Carlos que tem sistematicamente obtido excelentes audiências (VIP Manicure e O Momento da Verdade têm tido resultados muito desequilibrados, os outros têm tido resultados consistentes mas baixos), são obtidos… pelos programas de apanhados Não Há Crise! e Tá a Gravar!
Quando um canal aposta em produção nacional desta maneira mas se vê forçado a recorrer a programas de apanhados para compensar as audiências que teimam em levantar, isso quer dizer alguma coisa, e não necessariamente sobre a programação do canal em si. Quer dizer também muito sobre o público — não que isso seja necessariamente uma surpresa, excepto quando começamos a olhar para os pormenores e começamos a ficar perplexos com as idiossincrasias que se manifestam…

3 comentários a Apanhados

  1. Realmente o programa Não há Crise é super barato e rende imenso Os unicos custos são a maquilhagem de Nuno Graciano, a luz, o direito de transmissão, os ordenados de Nuno e 6 elementos da equipa técinica…

  2. Nunca tinha reparado que são dois programas diferentes. Meu deus, não tinha mesmo… Não creio que a responsabilidade seja só minha ehehe